quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Carros que foram sucessos de venda no Brasil

Os carros mais vendidos no Brasil impressionam por seu preço com conta, seu desempenho urbano, seu uso de combustível, entre outros aspectos. Os veículos que correspondem ao que consumidor esperava destas categorias, acabam entrando na lista dos mais vendidos no país. Você sabe quais são os modelos líderes de venda? Confira a seguir os carros que foram sucessos de venda no Brasil e conheça um pouco mais deles:

HRV

O HRV é um modelo da Honda que atingiu liderança em vendas. Isto porque, o veículo dispõe de uma boa margem se segurança e um desempenho bastante satisfatório.


 Pensando em dar continuidade a este sucesso, a Honda lançou o HRV 2019. A expectativa é que o carro apresente avanço tecnológico não só em seu painel, mas também em sua mecânica. Conheça o modelo ainda hoje.

Hilux

Tendo uma média de avaliação alta por parte de seus compradores, a Hilux é um modelo da Toyota que ganhou o mercado automobilístico. Além de possuir um excelente desempenho na estrada, o veículo dispõe de muito espaço interno, sendo ideal para famílias grandes ou muita bagagem.


Para quem já é fã da Hilux, vale a pena conferir a nova Hilux 2019. O carro promete alta tecnologia e melhorias na parte mecânica da picape, trazendo ainda mais conforto e segurança para seus passageiros.

Ford Ka

O Ford Ka é um dos compactos mais vendidos no país. O carro também está disponível, além da versão hatch, na opção de sedan. O último modelo trouxe muita tecnologia e conforto para seus compradores. Um dos aspectos que mais agradam quanto a este modelo é o seu preço, que na versão mais simples custa em média R$ 40.590.

Onix

Sendo um dos modelos populares mais vendidos da Chevrolet, o Onix conseguiu conquistar o público com seu interior confortável e o seu preço em conta. Seu consumo de combustível é moderado.


Para continuar atendendo às necessidades do público da melhor maneira, a Chevrolet lançou o novo Onix 2019, prometendo ainda mais conforto e segurança. Já é fã deste modelo? Então vale a pena conferir tudo sobre sua versão mais recente!

Prisma

Outro modelo da Chevrolet que ficou entre os favoritos do público brasileiro, foi o Prisma. O carro dispõe de 500 litros no porta-malas. O conforto também não deixa a desejar.

HB20

O HB20 é um dos carros mais vendidos do último ano. Uma boa justificativa para esta nomeação, além de seu preço, poderia ser o seu consumo moderado de combustível e o seu excelente desemprenho urbano. A Hyundai está disponibilizando a versão HB20 2019, cumprindo ainda mais seu papel urbano e aperfeiçoando o sistema de segurança para os passageiros.

Virtus

O Virtus também entrou na lista dos mais vendidos. O modelo Volkswagen está disponível em câmbio manual, possuindo cinco marchas, e para o câmbio automático, com seis velocidades. Vale mencionar que capacidade de seu porta-malas é de  521 litros.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Curso Tecnólogo em Recursos Humanos: Vale a pena fazer?

Antes de começar qualquer formação profissional, é preciso ponderar quanto a utilidade do curso no mercado nos dias presentes. A área de Recursos Humanos, por exemplo, é sempre muito procurada pelos estudantes. Mas e quanto ao curso tecnólogo em Recursos Humanos: vale mesmo a pena? Se você está buscando esclarecimento em relação a esta área e quer descobrir se ela vale a pena ou não, leia o texto a seguir e descubra.

Vale a pena fazer o curso?

O tecnólogo desta área irá ser responsável pela gestão das pessoas na empresa. É o profissional da área de RH que irá selecionar, avaliar e criar táticas operacionais para os funcionários da instituição que servir. É inclusive papel deste funcionário, o treinamento de novos empregados, assim como a análise de estrategias. Mas vale a pena mesmo ingressar neste curso?

Bem, os cursos superiores de tecnologia têm ganhado muito espaço na educação, isto porque seu tempo de duração é menor, assim como o custo de suas mensalidades, que são compensatórias. Estes fatores são pontos positivos, mas a graduação só vale a pena se a pessoa tiver um foco específico no mercado de trabalho, já que os tecnólogos são direcionados para áreas singulares.

Então, para quem quer adquirir uma formação rápida, a área de Recursos Humanos pode ser uma boa opção, já que as empresas precisam dos profissionais do RH para funcionar bem.

Onde posso fazer?

Se o tecnólogo de Recursos Humanos é para você, saiba que existem diversas oportunidades com custo econômico e descontos imperdíveis. Uma boa opção para quem quer começar um curso em breve, é o Educa Mais Brasil 2019.

A inciativa permite descontos de até 70% nas melhores instituições particulares disponíveis. Os alunos interessados devem acessar as inscrições Educa Mais Brasil. A inscrição é online! Basta você acessar o site oficial do programa e visualizar a oferta de cursos para a sua região. Quando encontrar a melhor opção para você, realize a sua matrícula através da plataforma digital. Você deverá pagar a primeira matricula integral e as próximas receberão o desconto contratado.



Uma outra opção é acessar a oferta de vagas do Pronatec, uma inciativa que permite a acesso a bolsas gratuitas para quem não pode cumprir os custos da formação. Verifique os requisitos do programa e inscreva-se para garantir a sua formação em cursos de qualidade. O Pronatec lança periodicamente oferta de vagas em diversos cursos. Encontre o seu e concorra a uma bolsa!

terça-feira, 10 de julho de 2018

Vale a pena ter uma previdência privada? Como funciona?

Desde quando o Governo Federal anunciou a proposta para a reforma da Previdência muita gente vem procurando, como uma alternativa, os planos particulares desvinculados ao INSS.

Se você começou a planejar seu futuro, e também está pensando em investir em uma previdência privada é bom estar atento as condições propostas e saber se realmente vale a pena.



Pensando nisso, separamos os principais pontos de como é e como funciona a previdência privada para que você fique por dentro de tudo.

O que é?

A previdência privada nada mais é do que uma forma de seguro, ou seja, um plano de aposentadoria complementar à previdência social, ligada ao INSS, do Governo.

Também conhecida como previdência complementar, esse “seguro” propõe a garantia de uma renda futura ao titular ou ao seu beneficiário enquanto ele estiver aposentado ou em caso de invalidez (se estiver previsto no contrato).


Na realidade, a previdência complementar é muito semelhante a investir em um fundo de investimento, no entanto algumas regras são bem diferentes, como a tributação, as taxas, e a modalidade.

É importante ressaltar que todas as organizações que trabalham com a previdência privada são fiscalizadas e regulamentadas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) e Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

Outro ponto que deve ser esclarecido é que a previdência pública é obrigatória e a complementar é facultativa. Ou seja, quem trabalha não pode optar por querer ou não pagar aposentadoria INSS 2019, pois é obrigatório.

Como funciona?

Normalmente os planos de previdência privada se dividem em duas etapas. A primeira é a acumulação, que é o período onde os subsídios feitos são aplicados de acordo com as regras da seguradora, que tem o objetivo de aumentar o capital investido.

A segunda é o resgate, onde o valor acumulado pode ser resgatado integralmente ou em parcelas, após o período definido no contrato.

Muitas pessoas aderem a esse plano e começam a fazer aportes regulares para que o dinheiro comece a acumular e a crescer com os investimentos, como uma forma de “poupança forçada”.

No entanto, como as seguradoras usam o dinheiro para investir em produtos financeiros podem cobrar algumas taxas (muitas vezes abusivas) para realizar esse serviço.



Não existe uma idade mínima para aderir a um plano de previdência complementar. Mas, se o seu objetivo é fazer uma renda complementar para o seu futuro, o bom é começar o quanto antes.

É preciso estar atento, pois vários especialistas afirmam que a previdência privada é um investimento que não vale a pena por conta das altas taxas e a rentabilidade baixa. Sendo assim, você pode perder muito mais dinheiro e poder de compra do que imagina.

Por isso a dica é: sempre calcule a rentabilidade e dilua todos os custos que estão embutidos nela. Dessa forma você pode comparar os melhores tipos de investimentos.